Show Less
Restricted access

O comportamento linguístico dos emigrantes portugueses na Áustria

Cláudia Fernandes

Com o regresso da emigração ao quotidiano português, tornou-se manifesto que o fenómeno adquiriu contornos diferentes em comparação às vagas de emigrantes anteriores. Esta investigação centrou-se nos portugueses residentes na Áustria e procurou descrever o comportamento da língua portuguesa em contacto com as diferentes línguas estrangeiras com as quais convive em contexto austríaco e as consequências daí decorrentes. Por exemplo, em que medida há interferências de outras línguas, quais as estratégias dos falantes para gerir as suas competências linguísticas, quais as áreas mais permeáveis a transferências, etc. Como se trata de uma comunidade recente e não muito numerosa, os fenómenos linguísticos puderam ser observados ainda numa fase inicial.
Show Summary Details
Restricted access

III Enquadramento histórico

Extract



1. História da emigração portuguesa

Há muitos anos que o tema da emigração não era tão assíduo nos meios de comunicação portugueses como actualmente. Títulos como “Mais de 100 mil portugueses emigraram em 2011”3 ou “Entre 2008 e 2012, o fluxo de emigração portuguesa aumentou 155%”4 convivem nas páginas dos jornais e nas emissões dos telejornais com outras notícias e deixaram de ser surpreendentes para muitos.

A emigração não é novidade na cultura nem para demografia nacional, mas voltou à ordem do dia nos últimos anos com a subida do desemprego a níveis nunca vistos (16,5% em Dezembro de 2012)5 e com a implementação de vários pacotes de medidas de austeridade de sucessivos governos, que visavam enfrentar os problemas do alto endividamento do Estado. Finalmente, caiu na boca do povo, quando membros do governo actual (2012), nomeadamente o então Secretário de Estado da Juventude e, posteriormente, o Primeiro-Ministro se pronunciaram sobre o assunto, incentivando jovens desempregados a saírem do país.6

You are not authenticated to view the full text of this chapter or article.

This site requires a subscription or purchase to access the full text of books or journals.

Do you have any questions? Contact us.

Or login to access all content.