Show Less
Restricted access

A Angústia da Influência

Política, Cultura e Ciência nas relações da Alemanha com a Europa do Sul, 1933–1945

Series:

Edited By Fernando Clara and Cláudia Ninhos

Os ensaios reunidos neste volume reflectem sobre a angústia da influência que a Alemanha nacional-socialista sente na sua relação específica com os países da Europa do Sul com quem, à época, tem afinidades ideológicas manifestas (Itália, Espanha, Portugal). E fazem-no, num quadro disciplinar polifacetado onde convivem e interagem a política, a cultura e a ciência. Não se trata de analisar a propaganda nacional-socialista ou de reflectir sobre as suas estratégias discursivas e retóricas, mas sim de procurar compreender o que fica aquém e além do seu discurso: como se caracterizam os contextos locais em que esta retórica se inscreve? Quais as modalidades que essa angústia da influência alemã conheceu ou adoptou? Quais as suas realizações efectivas, em termos culturais e científicos?
Show Summary Details
Restricted access

À procura de uma «Aliança Espiritual» com a Alemanha. Do Ultimato Britânico à ascensão do Nacional-Socialismo

Extract

Cláudia Ninhos

Introdução

Quando partimos para a escrita deste texto o objectivo inicial era analisar as relações culturais e científicas luso-alemãs durante o período Nacional-Socialista, centrando a nossa atenção no papel da Junta de Educação Nacional (JEN) e do Instituto para a Alta Cultura (IAC). No entanto, depressa se tornou claro que, para compreender de forma cabal este relacionamento, era necessário recuar no tempo, uma vez que à medida que analisávamos as fontes se tornava cada vez mais óbvio que se tratava de um relacionamento de longa duração. Temos sempre defendido que foi com o regime Nacional-Socialista que as relações luso-alemãs se intensificaram, sobretudo depois da chegada a Lisboa do barão Oswald von Hoyningen-Huene, que permaneceu como ministro da Alemanha durante uma década (1934–1944). A estratégia do diplomata alemão passou pela aproximação a Portugal na esfera económica e militar, aproveitando-se da distensão no relacionamento luso-britânico provocada pela eclosão da Guerra Civil na vizinha Espanha e pela posição assumida por Salazar ao apoiar a facção liderada por Franco. A estratégia de Huene foi, no entanto, muito mais abrangente. Instrumentalizando a cultura e os avanços científicos protagonizados pela Alemanha, procurou impôr a Portugal a hegemonia cultural, científica e, consequentemente, ideológica do país que representava. Com este intuito lançou-se, desde cedo, à conquista da elite lusa que, por...

You are not authenticated to view the full text of this chapter or article.

This site requires a subscription or purchase to access the full text of books or journals.

Do you have any questions? Contact us.

Or login to access all content.