Show Less
Restricted access

Vozes femininas de África

Poesia e Prosa

Series:

Anne Begenat-Neuschäfer and Flavio Quintale

A idea do presente volume nasceu durante o VIII Congresso de Lusitanistas da Alemanha, em 2009, em Munique, na seção intitulada Escritoras da África Lusófona. Este volume apresenta os primeiros resultados dos estudos desses discursos literários multi-facetados das autoras africanas de língua portuguesa. Uma introdução poética de Ana Mafalda Leite e uma entrevista de Ondjaki com Ana Paula Tavares completam os ensaios críticos deste volume.
The idea for the present volume arose at the 8th German Lusitanistentag in Munich in 2009, in a sub-session entitled Women Writers in Lusophone Africa. This volume presents a first assessment of the manifold forms of literary discourse of women writers from the Portuguese-speaking countries of Africa. The poetic introduction of Ana Mafalda Leite and the dialogue between Ondjaki and Ana Paula Tavares complete the critical appreciation of the work of creative writers.
Show Summary Details
Restricted access

Dina Salústio: formas de valorizar as experiências: Maria Teresa Salgado

Extract

Maria Teresa Salgado

Um odor desfaz anos inteiros no odor que ele lembra(Walter Benjamin, “Sobre alguns temas em Baudelaire”)

Há cerca de 11 anos, descobri a inquietude da voz de Dina Salústio com o livro de contos Mornas eram as Noites. Tal marca de sua criação me foi oferecida, sobretudo, pelas destemidas e inquisitivas personagens de seus livros ficcionais. A busca da autora por novas experiências literárias continuou se traduzindo em sua incursão por diversos gêneros, passando pelo conto, pela poesia, pelo ensaio e pelo romance.

Desde 1994, Bernardina de Oliveira Salústio, nascida na Ilha de Santo Antão, em 1941, publicou Mornas eram as Noites, contos (1994); A Louca de serrano, romance (1998); Estrelinha Tlim Tlim, infanto juvenil (2000); Violência contra as mulheres, estudo (2001); O que os Olhos não vêem, infanto-juvenil, co-autora com Marilene Pereira (2002); As Filhas do vento, romance (2009); além do belíssimo ensaio “Insularidade na literatura cabo-verdiana” (1998). Possui também publicações em antologias cabo-verdianas e estrangeiras. Nos meios acadêmicos, especialmente nos últimos dez anos, sua ficção tem suscitado monografias, trabalhos de iniciação científica e vários estudos de mestrado e doutorado.

A essa altura, é fundamental mencionarmos o trabalho realizado por Simone Caputo Gomes, uma pioneira nos estudos sobre a literatura cabo-verdiana, no Brasil, e uma constante apresentadora da obra de Dina Salústio. A pesquisadora acompanha a produ...

You are not authenticated to view the full text of this chapter or article.

This site requires a subscription or purchase to access the full text of books or journals.

Do you have any questions? Contact us.

Or login to access all content.