Show Less
Restricted access

Portugiesisch als Diasystem- O Português como Diassistema

Series:

Edited By Aurelia Merlan and Jürgen Schmidt-Radefeldt

Das Diasystem des Portugiesischen umfasst einerseits nationale Varietäten, andererseits Minderheitenvarietäten. Jede nationale Varietät für sich stellt ihrerseits ein Diasystem dar: Es gibt sprachliche Unterschiede im Raum, in der sozialen Schichtung, in der Ausdrucksweise, zwischen Berufsgruppen, zwischen Generationen usw. Die Beiträge dieses Bandes haben das Ziel, in Einzelanalysen Teilbereiche der verschiedensten Varietäten des Portugiesischen auszubreiten, Spezifika möglichst aufgrund von Datensammlungen oder Einzelbeobachtungen darzustellen und auch den Forschungsstand der jeweilig dominanten diasystematischen Teilbereiche zu berücksichtigen.
O diassistema do Português abrange variedades nacionais assim como variedades minoritárias. Cada variedade nacional per se representa um diassistema: existem diferenças linguísticas no espaço, nos estratos sociais, no modo de expressão, entre grupos profissionais, entre gerações, etc. O objectivo dos artigos contidos neste volumen consiste em analisar, em estudos individuais, certas áreas das mais diversas variedades do Português e apresentar particularidades específicas o mais possível com base em corpora linguísticos ou em observações individuais, tomando também em consideração o estado actual da investigação nos domínios diassistemáticos dominantes.
Show Summary Details
Restricted access

Concordância entre sujeito de 3ª pessoa e verbo em português, e variáveis linguísticas independentes

Extract



Maria Antónia Mota (Lisboa)

1. Questões preliminares

Como é conhecido, na abordagem sociolinguística da variação e da mudança linguística, a investigação recorre a corpora geralmente de grandes dimensões, tendo sido desenvolvidas técnicas que garantem a fiabilidade dos resultados, nomeadamente no que diz respeito ao tratamento estatístico dos dados objectivos. O texto de apresentação do projecto Vertentes1 chama a atenção para o comprometimento da equipa de pesquisa com o „combate ao preconceito linguístico“, através do conhecimento do „caráter multicultural e pluriétnico (…) [da] língua popular“. Refiro estes excertos para sublinhar o facto de que os estudos sobre variação e mudança linguística valem, obviamente, pelo contributo para o conhecimento da(s) gramática(s) do português, mas valem também pelo impacto social que esse conhecimento pode ter. Por exemplo, nos diferentes países de África onde se fala português como L2 ou como LM (uma minoria de falantes), a definição da norma culta e a descrição de variedades internas estão por resolver: o facto de haver muito pouca investigação sobre o português falado nesses países2 conduz a uma representação da norma culta local decalcada sobre a norma europeia, considerada o modelo, o que tem obviamente pouca base de sustentação linguística e constitui uma subversão dos valores simbólicos e identitários das variedades locais.3 Concomitantemente,...

You are not authenticated to view the full text of this chapter or article.

This site requires a subscription or purchase to access the full text of books or journals.

Do you have any questions? Contact us.

Or login to access all content.