Show Less
Restricted access

A tradução em movimento

Figurações do traduzir entre culturas de Língua Portuguesa e culturas de Língua Alemã

Series:

Edited By Susana Kampff Lages, Johannes Kretschmer and Kathrin Sartingen

Para germanistas atuantes em países lusófonos ou lusitanistas em países de língua alemã, a tradução é ferramenta diária e essencial ao trabalho. Mas como tornar essa prática objeto de investigação sistemática? De que forma a tradução e seus desafios auxiliam o pesquisador que opera no campo dos estudos literários? Esta coletânea constitui uma reunião de estudos que tomam a tradução, sua prática, seus desafios e questionamentos, como ponto de partida para abordar temas caros aos estudos literários e culturais. A partir do estudo da obra de autores como Haroldo de Campos, Jorge de Sena, Vilém Flusser, Franz Kafka, Walter Benjamin, entre outros, os autores buscam refletir sobre o papel das relações entre tradução, exílio, identidade, história e filosofia.

Show Summary Details
Restricted access

Alles ist Samenkorn / Tudo é semente: O germanista Haroldo de Campos (Márcio Seligmann-Silva)

Extract

| 29 →

Márcio Seligmann-Silva

Alles ist Samenkorn / Tudo é semente: O germanista Haroldo de Campos

1- Introdução

ach lass sie quatschen lass sie velhas tortugasvelhos tortulhos tartarugandotortulhando meringentorte fruchttorte kaesetorte tartarugas merendando merengues mit kreme mit kaffeekreme mit schokoladekreme gula gorgulho de tartarugas merengando e coscuvilhando e cascavelhando gossiplho d gurgitantes gorgorantes e o primeiro raio de sol brilhando no lordo de ouro do mercúrio de ouro alte kanzlei invitação ao milagre das wirtschaftswunder ecônomos deus do comércio o primeiro sol depois da última neve quem poderia supor o vidrilhado branco espanado em […]

(Haroldo de Campos)

Assim lemos na abertura do décimo canto das Galáxias de Haroldo de Campos (2004). Trata-se de um poema viagem, de uma antiviagem, que transcende as línguas e os espaços, para refundi-los no aqui e agora da poesia. Se Augusto de Campos é o poeta do menos, da economia, Haroldo, como vemos nesse poemaprosa (proesia, para falar com Caetano), é o poeta do mais, da Magasinierung barroca, procedimento de acúmulo tão bem analisado por Walter Benjamin em seu livro sobre o Trauerspiel, o drama barroco alemão. E em Galáxias, trata-se de um arquivar e desarquivar da poesia e da literatura, mas também da história e da memória, e das línguas: “ach lass sie quatschen” – que as línguas falem. E elas falam em Galáxias, obra que transita...

You are not authenticated to view the full text of this chapter or article.

This site requires a subscription or purchase to access the full text of books or journals.

Do you have any questions? Contact us.

Or login to access all content.