Show Less

Relaciones entre las literaturas ibéricas y las literaturas extranjeras

Series:

Edited By Luis Pegenaute, Enric Gallén and Francisco Lafarga

Este libro recoge aquellas contribuciones al Congreso internacional Las relaciones entre las literaturas ibéricas (Universitat Pompeu Fabra en colaboración con la Universitat de Barcelona, 18-20 de junio de 2009) que se ocupan de analizar las relaciones específicas entre estas literaturas y las extranjeras. Más en particular, se ha intentado establecer una auténtica situación triangular, que permita un estudio a tres bandas, estudiando la recepción comparada de una literatura extranjera en más de una literatura ibérica. Las restantes contribuciones al congreso se encuentran en otros dos volúmenes de esta colección: Traducción y autotraducción en las literaturas ibéricas e Interacciones entre las literaturas ibéricas.

Prices

Show Summary Details
Restricted access

Teoria do Romance Naturalista Ibérico e sua Orientação Francesa 203

Extract

203 Teoria do Romance Naturalista Ibérico e sua Orientação Francesa CÉLIA VIEIRA Instituto Superior da Maia A gestação do Naturalismo situa-se em França nos anos 60, num momen- to da afirmação do cientismo, com o desenvolvimento e vulgarização das ciências médicas e num momento de irrupção de uma reivindicação de- mocrática em oposição ao Segundo Império. Nascido da osmose intelec- tual entre cientismo e literatura, o Naturalismo emergiria da convergência de textos e teorias que confluem na construção de uma visão científica do mundo, para a qual contribuíam o Positivismo, a expansão das ciências da natureza, a vulgarização da aplicação do método experimental, os avanços de teorias médicas e da fisiologia. Para Delfau (1971), a formulação, por Zola, de uma teoria literária que atribui ao romancista a démarche de um cientista situa-se nos anos 1864–1869, na sequência da aquisição das con- cepções de Taine, cujos textos teóricos e de crítica estética fundamentais são publicados entre 1858 e 1866, e da leitura de obras eivadas pela crença nas possibilidades do avanço médico-científico, como as Leçons de physiologie expérimentale (1855–56), ou os tratados fisiológicos de Letourneau e de Lucas. O elogio de Taine, em Mes haines (1866), a epígrafe a Thérèse Raquin (1867), o...

You are not authenticated to view the full text of this chapter or article.

This site requires a subscription or purchase to access the full text of books or journals.

Do you have any questions? Contact us.

Or login to access all content.