Show Less
Restricted access

A tradução em movimento

Figurações do traduzir entre culturas de Língua Portuguesa e culturas de Língua Alemã

Series:

Edited By Susana Kampff Lages, Johannes Kretschmer and Kathrin Sartingen

Para germanistas atuantes em países lusófonos ou lusitanistas em países de língua alemã, a tradução é ferramenta diária e essencial ao trabalho. Mas como tornar essa prática objeto de investigação sistemática? De que forma a tradução e seus desafios auxiliam o pesquisador que opera no campo dos estudos literários? Esta coletânea constitui uma reunião de estudos que tomam a tradução, sua prática, seus desafios e questionamentos, como ponto de partida para abordar temas caros aos estudos literários e culturais. A partir do estudo da obra de autores como Haroldo de Campos, Jorge de Sena, Vilém Flusser, Franz Kafka, Walter Benjamin, entre outros, os autores buscam refletir sobre o papel das relações entre tradução, exílio, identidade, história e filosofia.

Show Summary Details
Restricted access

Uma questão de tradução: “drama barroco” ou “drama trágico” em Walter Benjamin? (Elcio Loureiro Cornelsen)

Extract

| 145 →

Elcio Loureiro Cornelsen

Uma questão de tradução: “drama barroco” ou “drama trágico” em Walter Benjamin?

1- Introdução

Nossa contribuição visa a uma reflexão sobre o conceito de “Trauerspiel”, empregado por Walter Benjamin na obra Ursprung des deutschen Trauerspiels (1928), e traduzido para a língua portuguesa por Sérgio Paulo Rouanet como “drama barroco”, e por João Barrento como “drama trágico”.

Objetivo principal deste breve estudo é, justamente, discutir sobre as opções que os tradutores Sérgio Paulo Rouanet e João Barrento adotaram para traduzir a obra benjaminiana, respectivamente, como Origem do drama barroco alemão (1984) e Origem do drama trágico alemão (2004).

De antemão, trata-se de tarefa nada simples, dada a complexidade de Ursprung des deutschen Trauerspiels, obra certa vez designada por Jeanne-Marie Gagnebin como um “livro maldito”: “tenta-se lê-lo, não se o entende, tenta-se esquecê-lo, retorna-se a ele, pressentindo que aí se encontram algumas das noções-chave de toda a filosofia benjaminiana” (Gagnebin 1984, s/p.). Cabe ressaltar que a obra foi apresentada em 1925 à Universidade de Frankfurt como tese de livre-docência, a qual, entretanto, foi rejeitada.

No intuito de realizar nosso breve estudo, necessitamos contemplar cinco aspectos específicos: 1) a história do drama alemão no período barroco, no contexto da Contra-Reforma; 2) os tratados poéticos do período barroco, de Martin...

You are not authenticated to view the full text of this chapter or article.

This site requires a subscription or purchase to access the full text of books or journals.

Do you have any questions? Contact us.

Or login to access all content.