Show Less
Restricted access

Language and Belonging

Local Categories and Practices in a Guatemalan Highland Community

Series:

Rita Vallentin

In this book, the author introduces belonging from a sociolinguistic perspective as a concept that is accomplished in interaction. Belonging can be expressed linguistically in social, spatial and temporal categories – indexing rootedness, groupness and cohesion. It can also be captured through shared linguistic practices within a group, e.g. collectively shared narrative practices. Using conversation analysis and an analysis of narrative as practice bolstered with ethnographic knowledge, the author shows how belonging is tied to locally contextualized use of deictics and to collectively shared narrations of the past in a Guatemalan community. The book examines the understudied phenomenon of belonging at the intersection of pragmatics and linguistic anthropology.

Show Summary Details
Restricted access

Resumo

Extract



Este livro é uma investigação sobre o conceito de pertencimento e sua relação com o uso da linguagem. A pesquisa empírica centra-se na realização interacional de pertencimento em uma comunidade rural guatemalteca. O conceito de pertencimento é definido, em primeiro lugar, como as categorias espaciais, sociais e temporais que os falantes usam para atribuir a si mesmos e a outros (“belonging to”). Em segundo lugar, o pertencimento é considerado como práticas específicas que são distintivas para uma comunidade e que indicam pertencer à mesma comunidade (“belonging with”). Essas práticas são compartilhadas em todo o grupo e, juntamente com as atribuições categóricas, muitas vezes determinam quem pode pertencer a ele e quem não pode. O corpus foi coletado entre 2009 e 2011 em quatro meses de pesquisa etnográfica. Ele combina narrativas sobre a transformação da comunidade coletadas em entrevistas semi-estruturadas, em narrativas para turistas, bem como interações entre seus próprios membros. A análise das interações baseia-se nas premissas da categorização de pertencimento (MCA), análise da conversa etnograficamente informada (“ethnographically informed conversation analysis”) e análise do posicionamento discursivo. Os resultados mostram uma relevância crucial da categoria de “lugar” em relação com a “origem”, a importância de coletividade e a conexão entre o local e o grupo numa trajetória ao longo do tempo nas enunciações dos participantes. A análise das narrações mostra elementos compartilhados nos relatos...

You are not authenticated to view the full text of this chapter or article.

This site requires a subscription or purchase to access the full text of books or journals.

Do you have any questions? Contact us.

Or login to access all content.