Show Less
Restricted access

Collecçam dos Papeis Anonymos

Editada por Hans Fernández e Pascal Striedner

Series:

Bento Morganti

Edited By Hans Fernández and Pascal Striedner

A Collecçam dos Papeis Anonymos constitui o primeiro texto do gênero spectator aparecido na península ibérica. Atribuída ao religioso Bento Morganti, a obra circulou na cidade de Lisboa — num contexto marcado pela Censura e Inquisição — em forma de folhas volantes entre os anos de 1752 e 1754. Ao longo de quatro coleções e 44 números, sua instância narrativa reflete com base em um pensamento próprio do Iluminismo sobre a necessidade de transformar a sociedade portuguesa, especialmente por meio da educação, com a finalidade de levá-la ao nível das mais avançadas da Europa.

A presente edição diplomática dá a conhecer o «Manuscrito de Coimbra» e tenta contribuir para a pesquisa dos spectators em Portugal.

Show Summary Details
Restricted access

Inteligencia de huma Inscripçaõ Antiga

Extract



N O ultimo discurso que sahio, insinuei ao publico a noticia de huma inscripçaõ sepulchral que se achou nesta Cidade, expressando juntamente o quanto se devia conservar, e estimar huma tal memoria, nam só para credito da antiguidade, mas tambem pela raridade com que estava escripta. Disse tambem aonde estava a duvida da sua verdadeira inteligencia, e que tinha recorrido a varias pessoas que julgava intelligentes, e com alguma noticia maes distinta da erudiçam antiga para ouvir seus pareceres; comuni-[98]calos ao publico, concluindo delles alguma cousa com que podesse estabelecer huma razam ao menos de verosimilidade. Nada disto consegui, até que por ultimo expuz geralmente aos olhos de todos a mesma inscripçam, e a duvida, sem querer resolver, porque como toda a a modestia, e comedimento tratei de esperar que houvesse algum curiozo que particularmente me mandasse algum parecer sobre isto para delle me aproveitar, e depois fazer á republica das letras este beneficio, que em outra qualquer parte do mundo naõ deixaria de se estimar, quando nesta conheço que he o de que se faz menos cazo; porque ha muita gente que entende ser muito inferior a utilidade de pulir o juizo, e o engenho, à outra de accumular ambiciozamente lucros de alguma occupaçaõ rendoza; o que entende ser incompativel a aplicaçaõ à historia antiga ou Ecclesiastica, ou Profana com outro qualquer estudo. Mas como para estes me nam canso, só pertendo falar com os que sabem ouvir; e assim já que...

You are not authenticated to view the full text of this chapter or article.

This site requires a subscription or purchase to access the full text of books or journals.

Do you have any questions? Contact us.

Or login to access all content.