Show Less
Restricted access

A circulação literária e cultural

Series:

Edited By Jose Luis Jobim

Uma questão importante para os estudos literários é a circulação de obras além de seu lugar de origem. Muitos outros aspectos devem ser levados em consideração também, como a posição assimétrica dos autores e de suas obras na circulação internacional, condicionada pela posição relativa de línguas e culturas em um mercado global. Este volume estuda a circulação literária e cultural e inclui ensaios que exploram este tópico tanto em estudos de caso, analisando obras e autores de diversas literaturas e culturas, quanto em discussões sobre questões teóricas referentes à circulação e a tudo que ela implica: temporalidade, lugar, método, objetos materiais e conceitos.

Show Summary Details
Restricted access

11 “Tupy or not tupy that is the question.” O vazio e a questão da circulação literária e cultural na Amazônia: pensando uma literatura “sem caráter” (Roberto Mibielli)

Extract

← 228 | 229 →

ROBERTO MIBIELLI

11  “Tupy or not tupy that is the question.” O vazio e a questão da circulação literária e cultural na Amazônia: pensando uma literatura “sem caráter”

O pensamento humano tende a circular e, enquanto circula, tende a estabelecer correntes, escolas, movimentos e hierarquias que ultrapassam fronteiras e se fazem presentes, com a simultaneidade que cada época histórica estudada permite, em diversos países, lugares, rincões. É claro que, com uma cada vez maior integração do mundo através da tecnologia da informação, este processo vai se tornando, ao longo da história, quase instantâneo, mas alguns séculos atrás, às vezes, um movimento político ou cultural, uma ideia, um viés filosófico, irrompia em um continente e só chegava ao outro décadas depois. Essa perspectiva sobre a circulação das ideias, especialmente no que tange ao pensamento cultural e filosófico, pode parecer um tanto óbvia em nossos dias, acostumados que estamos à onipresença das telecomunicações e das tecnologias da informação. Mas há relativo bem pouco tempo, a distância e o isolamento geográfico podiam, mesmo dentro de um país, mesmo no interior de uma dada comunidade, significar uma forma de isolamento em relação ao conhecimento, impedindo que determinadas regiões conhecessem processos e obras, fazendo com que a relação com o suposto cânone universal e, portanto, com a tradi...

You are not authenticated to view the full text of this chapter or article.

This site requires a subscription or purchase to access the full text of books or journals.

Do you have any questions? Contact us.

Or login to access all content.