Show Less
Restricted access

Espaços, tempos e vozes da tradução

Entre literaturas e culturas de língua portuguesa e língua alemã

Series:

Edited By Kathrin Sartingen and Susana Kampff Lages

A tradução é tanto um recurso indispensável à sobrevivência, quanto o fundamento de novos mundos, materiais e imateriais. A dimensão ontológica e fenomenológica da tradução é desdobrada nos ensaios reunidos neste livro por pesquisadores dedicados à prática da tradução para dela extrair consequências teórico- críticas. Os textos aqui reunidos focalizam traduções intermediais, entre lugares físicos e figurados e entre línguas. Num mundo globalizado, onde novas mídias e linguagens surgem a todo instante, traduzir não só línguas mas também universos culturais complexos é tarefa a ser sempre de novo reproposta. É essa faceta da tradução que os textos desta coletânea apresentam a partir de uma renovada perspectiva que atualiza teorizações clássicas. A dimensão criativa e inventiva da tradução é mais uma vez lembrada e aqui apresentada como indispensável à superação dos desafios a vir.

Show Summary Details
Restricted access

Uma língua (in)existente: A poética de Yoko Tawada a partir da tradução de dois poemas da coletânea As aventuras da gramática alemã (2010) para o português (Monique Cunha de Araújo / Marianna Ilgenfritz Daudt / Gerson Neumann)

Extract

Monique Cunha de Araújo / Marianna Ilgenfritz Daudt / Gerson Neumann

É fácil criticar uma tradução. Especialmente em poemas modernos, leitores cultos e pretensiosos gostam de falar sobre o fraco desempenho dos tradutores. Muitas vezes se esquece como a tradução tem de lidar com a intraduzibilidade. Uma mudança interessante, uma distorção aliviante ou uma obsessão delirante com a própria língua é mais uma conquista da tradução.

(Tawada 1998, p. 15)1

Yoko Tawada é uma escritora nascida e criada no Japão que vive há mais de 30 anos na Alemanha, e escreve e publica tanto em japonês como em alemão. Sua literatura é bastante diversificada, incluindo contos, romances, poesias e peças de teatro, além de ensaios teóricos. Entre diversos reconhecimentos, a autora recebeu, em 2016, o prêmio Kleist, importante prêmio literário na Alemanha, em 2017, o Prêmio Warwick for Women in Translation pela tradução de Memoirs of a Polar Bear do alemão e, em 2018, a premiação da National Book Award for Translated Literature pela tradução de The Emissary do japonês. No mesmo ano, foi consagrada com a medalha Carl-Zuckmayer por “suas contribuições à língua alemã”. No Brasil, em 2019, vieram a público as primeiras traduções em livro de sua obra: Memórias de um urso polar, traduzido por Lúcia Collischonn de Abreu e Gerson Neumann, e Überseezungen. Retrato...

You are not authenticated to view the full text of this chapter or article.

This site requires a subscription or purchase to access the full text of books or journals.

Do you have any questions? Contact us.

Or login to access all content.